Mestre Oculto

Donos de centro educacional são presos em Nova Venécia por fraude em curso de história

A operação recebeu o nome de "Estória" já que o curso oferecido fraudulentamente era de graduação em História, disse o promotor coordenador da ação policial.

13/11/2018 14h12
Por: Redacão
Foto: Divulgação MPES
Foto: Divulgação MPES

Foi deflagrada na manhã desta terça-feira (13) em Nova Venécia, por volta das 6 horas, a Operação "Estória", objetivando o cumprimento de dois mandados de prisão e três de busca e apreensão, expedidos pelo Poder Judiciário.

Dois professores e sócios de um centro educacional foram detidos e diversos materiais foram recolhidos pela equipe. Os mandados de busca e apreensão foram endereçados as casas dos investigados e também um centro educacional, todos situados na cidade de Nova Venécia.

A ação policial é um desdobramento da Operação "Mestre Oculto", realizada pelo Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), que investiga o fornecimento de diplomas de graduação, com simulação de aulas e atividades aos alunos, visando à obtenção do curso superior. A operação recebeu o nome de "Estória" já que o curso oferecido fraudulentamente era de graduação em História.

As buscas foram coordenadas pelo Promotor de Justiça de Rio Bananal Adriani Ozório do Nascimento e contou com a participação de Militares do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES e da Força Tática do 2º Batalhão da Polícia Militar de Nova Venécia.

Segundo o Promotor, os investigados estão sendo ouvidos na sede da promotoria e posteriormente serão encaminhados à Delegacia de Polícia do município. A prisão inicialmente é de cinco dias podendo ser prorrogada se houver necessidade, ou até mesmo ser transformada em prisão preventiva, disse o Promotor.

Para o Comandante do 2º Batalhão, Tenente-coronel Sebastião Aleixo Batista, a presença do Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO, na região do Batalhão, vem a somar para o que ele chama de "Universo Higienizado". Segundo o Comandante, "a vigilância do Estado ao atos criminosos de qualquer natureza, ainda que não deflua em violência física, desestimula e minora o intento criminosos de toda monta".

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias