Terça, 27 de Outubro de 2020
27 99868 6708
Cidades LINHARES

Empresário denunciado na Operação Rubi, deflagrada pelo MPES, é preso em Linhares

O empresário foi preso em Linhares por integrantes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPES, com o apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar da instituição, e levado para o Presídio Regional localizado no município.

30/08/2020 10h59 Atualizada há 2 meses
Por: Redacão Fonte: MPES
Foto: Divulgação MPES
Foto: Divulgação MPES

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do subprocurador-geral de Justiça Judicial, Josemar Moreira, pediu a prisão preventiva de um empresário denunciado por participar de uma organização criminosa constituída para lesar os cofres públicos dos municípios de Presidente Kennedy, Marataízes e Piúma. A Justiça deferiu o pedido e o mandado de prisão foi cumprido no final da tarde de sexta-feira, 28 de agosto. O empresário foi preso em Linhares por integrantes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPES, com o apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar da instituição, e levado para o Presídio Regional localizado no município.

A prisão foi decretada porque o empresário descumpriu medidas cautelares determinadas pela Justiça nos processos decorrentes da Operação Rubi, deflagrada em 2019. Ele foi proibido de manter contato com os demais investigados e denunciados na ação penal e teria de ficar em recolhimento domiciliar de 22h às 6 horas, durante a semana, e nos dias de folga. No entanto, uma investigação do Gaeco apurou que o empresário forçou a entrada na casa de um dos réus do caso e passou a noite lá. Ao sair, levou com ele bens pessoais desse réu, que prestou informações contrárias aos interesses do empresário durante a investigação.

Diante dos fatos, o MPES apontou que o empresário representava risco concreto de prejuízos à instrução processual, à ordem pública e à aplicação da lei penal, além de demonstrar desprezo aos órgãos de justiça e possível interferência na coleta de dados e provas complementares às investigações. Por essas razões, foi requisitada a prisão.  

Entenda o caso

O empresário teve a prisão preventiva decretada inicialmente quando a Operação Rubi foi deflagrada pelo Gaeco, mas se tornou foragido da Justiça. Nesse período, o Gaeco realizou diversas diligências para prendê-lo e apurou que ele havia se refugiado no Estado de Pernambuco. No curso do processo, porém, a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Espírito Santo revogou o mandado de prisão preventiva dele para impor medidas cautelares.

A Operação Rubi foi deflagrada no dia 8 de maio de 2019 pela Subprocuradoria-Geral de Justiça Judicial e pelo Gaeco-Central, com o apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES e da Polícia Militar. Na ocasião, foram presos a prefeita de Presidente Kennedy, um secretário do município, um contador, um empresário e o motorista. Todos foram presos na casa da prefeita, quando houve o flagrante do recebimento de propina de R$ 33 mil.

Além dos mandados de prisão temporária, foram cumpridos na operação cinco mandados de afastamento funcional de agentes públicos e 11 mandados de proibição de acesso às dependências de órgãos públicos, além de 25 mandados de busca e apreensão em Presidente Kennedy, Marataízes, Jaguaré, Piúma, Cachoeiro de Itapemirim, Linhares, Jerônimo Monteiro, Grande Vitória e no Estado do Rio de Janeiro. Os mandados foram cumpridos nas residências de investigados, em órgãos públicos e empresas suspeitas de integrar o esquema.

LINHARES - ES

LINHARES - Espírito Santo

Sobre o município
Rio Bananal - ES
Atualizado às 08h47 - Fonte: Climatempo
25°
Poucas nuvens

Mín. ° Máx. °

25° Sensação
5.1 km/h Vento
62.2% Umidade do ar
% (mm) Chance de chuva
Amanhã (28/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °

Quinta (29/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °

Ele1 - Criar site de notícias